quinta-feira, 1 de março de 2012

Saudades

Tenho saudades do passado longínquo. Tenho saudades de ser inocente, de ser alegre, de apreciar tudo e todos. Tenho saudades de não ter sentimentos negativos. Tenho saudades de não pensar.
Tenho saudades de ser faladora, de ser divertida e de fazer os outros rir.
Tenho saudades de brincar ao esconda com a minha irmã.
Tenho saudades de ter um irmão.
Tenho saudades de ir para o jardim com a minha avó e o killas e de ouvir o meu avô chamar por mim "ó gatiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiinha".
Tenho saudades de dançar e de ver os meus pais babados ao me verem nos espectáculos. Tenho saudades de tocar piano. Tenho saudades de cantar.
Tenho saudades de chegar tarde à catequese porque "fui lanchar um croissant com a M.". Tenho saudades de achar que ser rebelde era chegar 5 minutos atrasada à explicação ou não fazer os trabalhos de casa.
Tenho saudades de juntar um grupo no carnaval e jogar balões de água da varanda da casa da minha avó.
Tenho saudades dos chocolates que a minha avó me dava às escondidas do meu avô.
Tenho saudades de quem nunca mais vi e de quem vejo mas não "aproveito".
Tenho saudades de cantar músicas dos "onda choc" à minha mãe, como se estivesse perante uma grande plateia.
Tenho saudades do pai natal.
Tenho saudades de olhar para o espelho apenas para fazer caretas.
Tenho saudades de ser feliz. Tenho saudades de ser eu.
Tenho saudades de querer viver. Tenho saudades de não existir.
Tenho saudades de quando cuidavam de mim.Tenho saudades de tudo.
Mas não tenho saudades de nada. Ou não quero sentir nada. Não sei.
Só sei uma coisa: quero morrer.
*Boa semana*

(p.s. não me vou matar......)


5 comentários:

Dory disse...

és tu e eu. e muitas outras..
*

s.candy disse...

nem sei o q dizer...eita vcs meninas andam muito baixo astral, acho q vc esta apenas em um momento ruim, como muitos que já tive, logo passa e vc esquece essa idéia maluca, morrer...bom naum se sabe o q vem após a morte...então naum posso argumentar sobre isso,mais o que sei é que a vida tem muita coisa boa,basta vc abrir os olhos para as alegrias da vida que vc vai acabar achando seu lugar no mundo, estou a procurar do meu...estamos juntas nisso *---*, bjo e boa semana

disse...

Querida,
Onde é que nos perdemos?
Ou como alguém me dizia "onde é que deixaste de te amar?..."
Não saber o que fazer, para onde ir...não se querer mais nada a não ser: que a dor passe.
O respirar tem-se tornado pesado demais, o tremer das mãos, a incapacidade de estar atenta, de ouvir, de falar.
Mais do que desistir é não conseguir mais insistir...porque resistir já é demasiado penoso.
Quero partir...
um beijinho

Joana disse...

Olá :)

Eu sei que não te vais matar. Mas é óbvio que estás triste. Mais do que isso, que estás deprimida.

Tudo isso que falas que já não acontece, pode ser substituído por novas coisas, por novas tradições, por novas razões para sorrir. É só preciso ter um pouquinho de esperança.

Beijinhos!

Filipa disse...

Faço as palavras da Dory, minhas também.
Não era suposto estarmos a melhorar, porra? :s