sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Consulta

Demorou cerca de 15minutos porque cheguei 20 minutos atrasada (houve acidente antes da ponte e o trânsito ficou impossível). Odeio chegar atrasada, odeio acordar às 5h da manhã, levar quase 8horas em viagem (ida e volta) para depois ser tudo à pressa. Mas imprevistos acontecem e temos de lidar com eles. Por causa do atraso, não me pesaram. Não faz mal, devo estar nos 47 e qualquer coisa, não estou muito mal ("se achasse que terias perdido muito peso, pegava em ti e íamos lá abaixo").
Não levei nas orelhas. Contei que fiz para perder peso mas que depois, como o peso subiu em vez de descer, irritei-me e mudei de ideias. Ela perguntou o porquê de ter querido perder. Fui sincera e disse o que realmente pensava: lido mal com a novidade, com o imprevisto, que fico extremamente ansiosa e que não gosto da sensação. Contei também que quando comecei a restringir que me comecei a sentir mais calma. Por outro lado, disse que "não posso ter outra recaída agora. Uma recaída dá muito trabalho..." Ela riu-se e concordou.

Foram apenas 15minutos, mas o facto de me ter elogiado (porque previ uma recaída e reagi contra ela) deu-me novamente esperanças. Talvez eu não seja um caso perdido, talvez um dia consiga não ter medo de seguir em frente. Talvez um dia eu consiga dizer que já não preciso dela. Duvido, mas quem sabe...

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

p.a. 3 fatias de pão torradas com manteiga; galão com açúcar
almoço: feijão com salsichas e um molho onde constava ketchup; arroz; 1 fatia de pão; meio copo de sumo; 1 maçã
lanche: 2 dentadas numa maçã (estava podre lol)
jantar: 1 bife frito; arroz; restos do tal feijão


Nada saudável, demasiados hidratos, ausência de legumes e por aí fora, mas isso não me preocupa muito. Tenho fome, costumo comer o triplo e manter-me nos 47/48. A comer assim, perco peso (actualmente). Hoje pensei em gomas e porcarias. Bateu saudades de compulsões (não das compulsões, mas de junk food).

Tenho frequência de estatística na 4ª e ainda não peguei em nada. Esta vai correr tão mal ou pior ainda do que a 2ª frequência. Mas desta vez não estou muito preocupada.Paciência.

O que se passa, maria ines... o que se passa?


Hoje

ontem:46.300.
Hoje: 46.600.
"Reacção": Merda.
Pensamento: Engordo ou emagreço até 6ª? Nem uma nem outra: aumento de peso (soa melhor)
Atitude: "Mãe, tens de fazer feijoadas e bolos esta semana, senão na 6ª (consulta psicóloga) levo na cabeça e não me apetece." Ao que ela me responde: "Para a enganares outra vez? Aumentas até à consulta e fazes dieta outra vez?" Eu: "Dieta? Eu não estou de dieta! Achas que estou de dieta?!" Mãe: "Não sei. Só sei que estás a mirrar outra vez."
Pensamento: Engordo ou emagreço até 6ª? Emagreço.
Pensamento 2: Não vou emagrecer, mas apetece-me dizer que vou. Ou então vou tentar emagrecer e estou a dizer que não vou para o caso de não conseguir emagrecer não sair frustrada.
Pensamento 3: Não faço ideia do que quero.
Pensamento 4: help.


sábado, 8 de dezembro de 2012

p.s.

Ah. E ela (psicóloga) está mesmo grávida. É um menino desta vez. Será muito feio ter uma certa inveja dela?  

:)

Não sei quanto peso, mas devo andar por volta dos 46/47. Na última pesagem (talvez na 2ª, 3ª ou 4ª, não sei) tinha 46.7.
Na última consulta não me pesei "vou confiar em ti", disse ela. Fui sincera e disse que tinha perdido peso, porque adoeci (verdade) mas que não andava muito longe dos 48 (também verdade). Agora não consigo recuperar o peso, embora não me prive de nada. Ou então privo-me, porque estou com 46.5. Não faço ideia, não percebo nada.

Era para ter consulta esta 2ª. Not gonna happen. Motivo? Múltiplos:
a) tenho de estudar, 3ª frequência de estatística na 4ª (na 1ª tive 18, na segunda vou ter praí 10, se tiver sorte, e nesta que vem a coisa também vai correr mal, porque não consigo estudar).
b) pais foram hoje para corroios, pelo que teria também de ter ido hoje. Isto implicaria perder não um, mas 3 dias de estudo
c) não tenho grandes vontades de passar um fim-de-semana com o estupor. Há dias que consigo, outros não. E agora é um não.
d) prometi que iria subir até aos 50 (à psiquiatra) e que não desceria dos 48 (à psicóloga) e não cumpri nenhuma das duas promessas. Acho que tentei (mesmo) e não tenho pachorra para que me digam o contrário.

Sinto que o rapaz me está a esconder alguma coisa. Não costumo errar muitas vezes neste tipo de "feelings", mas posso apenas estar a ser neurótica.

Ai. Enquanto escrevo sinto a minha cabeça a dizer "talvez menos 1kg... ninguém vai reparar. Tens a desculpa do stress dos exames. Além disso, a psicóloga não vai conseguir arranjar consulta para este ano e depois no Natal recuperas. Só por uns dias..."

Ora bem, passemos à fase da análise do pensamento disfuncional: hum... será que está alguma coisa relacionada outra vez com o ir ou não ir à consulta? Com o facto de ela querer confiar e eu também querer que ela confie mas não me sinta ainda preparada? Hum...

Bah. Who cares.

p.s. sinto-me bem, não sei o que me deu para escrever isto. Tudo me corre bem. Eu é que não sei lidar com tanta coisa para fazer. Não sei ser adulta. E talvez nem queira. Bah