quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Emprego e mestrado

Mestrado não me parece que vá acontecer este ano. Parece-me boa ideia fazer uma coisa de cada vez, para já. Não é que não consiga estudar e trabalhar ao mesmo tempo, mas trabalhar, lida da casa, sítio completamente diferente, longe da família e amigos, sem filipa, tirar mestrado e recuperar desta treta parecem-me coisas a mais ao mesmo tempo. E eu bem sei o que acontece quando me meto em muita coisa ao mesmo tempo: sinto-me bem, mas perco peso à força toda. Desta vez quero que seja diferente, portanto, parece-me sensato deixar o mestrado para o ano que vem. Além disso, a universidade ainda nem me enviou o comprovativo de que terminei a licenciatura (fundamental para a inscrição no mestrado) e o tempo limite está a terminar. E tenho medo, pronto.

Quanto a empregos, já há várias possibilidades, mas sinto que me ando a esquivar. Não vou fazê-lo, mas sinto vontade. Lá está, o medo de crescer, parece-me. De qualquer das formas, também já pus anúncio para explicações. Fixe, fixe era o tal emprego no escritorio de contabilidade, um part-time ao fim-de-semana e umas explicações nos entretantos. LOL primeiro digo que quero uma coisa de cada vez, depois já quero 3 empregos... Enfim.

Estou bem, sinto-me bem aqui, na "MINHA" CASA (não é só minha...). Faço o que quero, como quero, quando quero e não dou justificações a ninguém. E o rapaz tem-me tratado muito bem, anda mais carinhoso e bem-disposto :)

Terla-feira pais vêm a lisboa. Devem vir conhecer a casa. Até tremo lol não me sai da cabeça que tem de estar tudo num brinco e organizado para mostrar que sou capaz. Mas cheira-me que por mais que faça a sô dona isabel vai implicar com qq coisa "uma verdadeira dona de casa faz assim e assado e blablabla".

Mas vou gostar de os ter aqui. São meus pais e amo-os incondicionalmente.
Sinto-me bem :)

4 comentários:

Milita* disse...

se achas que é o melhor para ti faz isso :)
és uma vencedora!

Milita* disse...

não é bem inconsciente. eu sei o que estou a fazer, sei as consequências que tem mas é como se fosse algo "normal", percebes?

a minha "cunhada" já está a ser acompanhada. A minha mãe é alturas que tem estes episódios e não é acompanhada.

Pedacinho disse...

Ahah, adorei a conclusão dos três empregos. Fez-me lembrar uma pessoa que conheço bem - eu! Também gosto de fazer tudo com calma, mas depois arranjo sempre mil e uma cenas onde me meter. Enfim!..

Quanto à casa, também me lembro das primeiras vezes que os meus pais lá foram e eu queria sempre 'mostrar' que conseguia estar sozinha (se bem que acompanhada, mas sem eles). Hoje ainda me sobe um nó à garganta quando a minha mãe chega e se põe a limpar isto ou aquilo, mas sei que não é por mal, é apenas a maneira dela de ser, sempre preocupada :)

Gostares de os ter junto de ti é o mais importante. Muita força e boa sorte!

Milita* disse...

sim, pypoka é isso. Eu sei mt bem o que é, mas não me controlo. Prefiro fazer isto a cortar-me novamente.
Talvez tenha receio de contar à médica, é verdade, porque eu, apesar de saber que é uma forma de automutilação, penso que não é o suficiente para dizer que ainda o faço (parece estúpido, mas eu acho que o facto de o dizer à médica é mais um motivo para "chamar à atenção"). Por outro lado, quero assumir perante os outros que estou bem e que estou a ultrapassar a fase negra da minha vida. Embora eu saiba que ainda não estou a 100%.

Quanto à minha mãe, possivelmente falarei do assunto na consulta e logo vejo.