sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Mestrados

Ando seriamente a pensar se tire ou não o mestrado agora. Não tenho assim grandes escolhas, o que desmotiva um pouco. Se bem que eu não sei o que quero (como já é hábito em mim), mas como gosto muito de reclamar de tudo, reclamo.

Fixe, fixe era haver um mestrado decente em Almada, mas aqui só psicologia clínica e da saúde ou psicologia social e das organizações. O segundo fica excluído, claro está (culpa do professor espanhol, que me traumatizou! Sim, porque eu sou inculpável, obviamente). São uns meros 230 por mês (11 meses, dois anos), equivalendo, na sua totalidade, à módica quantia de 5060. Sem contar, claro está, com os 150 da candidatura, os 30 do seguro escolar e os 285 da matrícula e inscrição. Nem vou comentar.
Quanto ao mestrado em si, são 12 ou 13 cadeiras no 1ºano. Consigo fazê-lo, as cadeiras aparentam ser interessantes, mas não sei bem se é o que quero. O site da universidade é uma cagada e não dá grandes informções (ou então eu não pesco nada daquilo).

Posteriormente, temos o ISCTE, em Lisboa. Onde tenho 4 opções: psicologia comunitária e proteção de menores (APELATIVOOOO); psicologia das relações interculturais (eh...); psicologia social da saúde (eh...); psicologia social e das organizações (eu bem sei que também conseguiria e que as ofertas de emprego são mais amplas, mas não obrigado. Estou traumatizada. parva
Os preços aqui são mais interessantes: total de 3750. Sei que as aulas começam a 16 de setembro, tendo aulos à 5ª e à 6ª das 18h às 22h, podendo haver ao sábado e à 4ª. Estou com o bichinho voltado para a primeira alternativa.

Por fim, temos o belo do ISPA que, segundo o site, apenas oferece 5 mestrados (digo apenas porque é uma universidade dedicada à psicologia). Os valores ultrapassam os 6000, ou seja, 348 por mês. Muito bonito, mas não me parece boa ideia. Aqui teria educacional, clínica, comunitária, social e organizações, saúde. Educacional sempre me fascinou, mas não me parece boa ideia. Não encontro mestrados em neuropsicologia, o que é pena.

E pronto, é isto. Tenho até setembro para me decidir.
Em relação a emprego, vou esperar que a minha mana me tente enfiar na chicco. Era muito, muito bom :D

De resto, ando em limpezas e arrumações aqui por casa. Está tudo cheio de caixas e caixas e caixas. Mas não me importo, porque faço quando e como quero. Não há ninguém a vigiar :) paz!

p.s. o meu rapaz anda muito meiguinho e eu adoro! Só acho que precisa de descansar mais, trabalha cerca de 13/14 horas por dia, folgando apenas um dia por semana. Sinceramente, eu já teria esticado o pernil.......

É tudo por hoje! Beijinhos, beijinhos!

2 comentários:

Cat disse...

Andei na faculdade de Psicologia da Universidade de Lisboa, não gostei do curso e mudei, mas fiquei com excelentes amigos psicólogos que mantenho até hoje.
Eles deram aulas no ISPA, no ISCTE e agora no ISCSP.
A vasta maioria dos meus colegas que fizeram o curso ficaram logo no desemprego (todos!) com excepção dos meus 3 amigos que foram para psicologia das organizações.
Já percebi que tiveste um prof que te fez não gostar dessa área. Mas olha, pelas conversas dos meus amigos é uma área muito diversificada e em crescimento. Talvez fazendo o tal mestrado ganhassses um novo interesse pela coisa...não deixes 1 único prof limitar as tuas opções.

Posso-te dizer que sector não está em crise. Uma das minhas amigas trabalha numa empresa que farta-se de dar formação e fazer seleccção de quadros angolanos...mas sem sair de Lx.

Em relação à escolha de fac. Pelas conversas desses meus amigos, eu recomendava o ispa, seguido do iscte. Nessas facs dão aulas profs que têm empresas que integram e dão oportunidades aos seus próprios alunos. Noutras facs, os profs são académicos de carreira, não dão emprego a ninguém, nem têm contactos com o mundo do emprego.

Boa sorte!!

Pypoka disse...

Obrigada!!! Vou ter em conta a tua opinião! :)